Planos antigos: 6,9 milhões não têm novos serviços de saúde

Planos antigos: 6,9 milhões não têm novos serviços de saúde

Cerca de 6,9 milhões de trabalhadores que têm plano de saúde empresarial não têm acesso aos novos serviços obrigatórios da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), em vigor desde o dia 2 de abril. Isso porque o convênio desses segurados foi contratado antes de 1999, quando uma lei mudou as regras dos planos, e as empresas não alteraram o contrato para incluírem os novos serviços.

Entre os procedimentos novos obrigatórios, mas que só valem para os convênios novos (após 1999), estão a realização de vasectomia e laqueadura, consultas com nutricionistas e psicólogos e procedimentos cirúrgicos mais avançados e exames.

O trabalhador que entrar agora em uma empresa com contrato antigo também não será beneficiado com os novos serviços. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, muitos trabalhadores só ficaram sabendo que não tinham direitos aos procedimentos obrigatórios desde abril quando foram tentar fazer o serviço.

Baseado no número de reclamações, o sindicato defenderá com as empresas uma mudança de contrato para que os trabalhadores possam ter acesso aos novos serviços. "A lei já tem mais de três meses. Queremos ampliar os direitos de quem tem contrato coletivo", afirma João Batista Arruda, diretor do sindicato.
Como o convênio é coletivo, a empresa é que decide sobre as mudanças do contrato. Mas trabalhador pode avaliar o plano antes de entrar na empresa (leia mais ao lado).

Os planos coletivos são aqueles que o trabalhador adquire ao entrar em uma empresa. Sua adesão é automática. Dependendo da empresa, ele pode escolher um plano mais completo, pagando a mais por isso. Por ser coletivo, o preço do plano coletivo costuma ser mais barato do que o do individual. Porém, o reajuste não é regulado pela ANS. A empresa pode arcar com todo o plano, mas também pode cobrar uma parte dos funcionários, com desconto no contracheque.


Fonte:  Carolina Rangel - Agora S.Paulo-26.07

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de obesidade mórbida em clínica de emagrecimento pode ser custeado por plano de saúde

Direitos da pessoa com câncer

Beneficiário de plano de saúde coletivo tem legitimidade para questionar rescisão unilateral por operadora