Justiça ordena que plano ofereça drenagem linfática

 

 


Decisão do Tribunal Regional Federal (TRF) de São Paulo obriga a empresa de planos de saúde A. a garantir o tratamento de drenagem linfática para seus clientes em todo o País. A autorização se torna obrigatória por parte do plano de saúde sempre que houver indicação terapêutica, como na recuperação de cirurgias, e recomendação médica. A sentença do TRF confirma uma liminar concedida pela 10ª Vara Federal de São Paulo, originada em uma ação civil pública proposta em 2005 pelo Ministério Público Federal em São Paulo.

A empresa A. não pode mais recorrer da liminar, podendo apenas aguardar o julgamento do mérito da ação. Segundo a procuradora Maria Emília de Moraes Araújo, a decisão do TRF está em consonância com a atuação do Ministério Público de coibir a negativa dos planos de saúde em oferecer a cobertura de procedimentos necessários para seus pacientes. “Temos agido de várias formas para coibir a atuação dos planos de saúde que, por exemplo, negam-se a garantir o acesso a uma prótese, mesmo ela sendo necessária”, afirma a procuradora.

No caso da drenagem linfática, procedimento associado a tratamentos estéticos, a procuradora explica que não é o objetivo da ação civil pública. “Isso faz parte de um tratamento e diminui o tempo de recuperação dos pacientes após uma cirurgia”, diz. “No caso da A., ela vai poder bloquear o procedimento sempre que não houver necessidade terapêutica e indicação médica.” Procurada pela reportagem, a empresa A. informou que vai cumprir a decisão do TRF.

Agência Estado

CORREIO BRAZILIENSE - BRASIL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de obesidade mórbida em clínica de emagrecimento pode ser custeado por plano de saúde

Direitos da pessoa com câncer

Beneficiário de plano de saúde coletivo tem legitimidade para questionar rescisão unilateral por operadora