Convênio: diferença de até 125%

JORNAL DA TARDE - ECONOMIA

 

A partir de 15 de abril, os clientes de planos de saúde individuais poderão trocar de operadora sem ter que cumprir novamente o tempo de carência. É a chamada portabilidade. O JT pesquisou em sete operadoras os preços dos planos mais simples e encontrou diferenças de quase 125% para a faixa de idade de 0 a 18 anos e para aqueles com mais de 59 anos. Os preços dependem de fatores como tamanho da rede conveniada e qualidade dos hospitais, que devem ser observados antes da mudança.

“Não dá para dizer se o mais mais barato é melhor. Depende da necessidade e de quanto se pode pagar”, afirma a advogada do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Juliana Ferreira.

Um dos fatores, a rede de atendimento, costuma ter unidades próprias e conveniadas. Fernando Azua, diretor operacional da Greenline - que tem quatro hospitais próprios -, afirma operar com baixo custo por usar bastante as unidades próprias. “A maioria das internações é feita na nossa rede. Administrando em casa, fica mais em conta”, diz. Seus planos têm foco nas classes C e D.

Já a superintendente comercial da Unimed Paulistana, Ivone Mendonça, afirma que o preço pago aos médicos por consulta encarece os planos. Na rede, diz ela, pode chegar a R$ 47, enquanto há convênios que pagam R$ 17. “O médico bem remunerado não precisa fazer número”, afirma. O foco da cooperativa, são as classe A e B.

“Um plano com o hospital Albert Einstein não vai custar R$ 50 por mês”, diz o corretor José Antônio Martins. Ele lembra que clientes de planos que se concentram em rede própria podem ficar reféns da agenda das clínicas. “Há os mais caros, que reembolsam a consulta em qualquer médico”.

Outro aspecto, diz a técnica do Procon, Renata Molina, é o atendimento fora da capital. “Um plano que atenda apenas na Grande São Paulo pode ser ruim para quem viaja”. No site da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é possível ver a qualificação das operadoras: www.ans.gov.br.

Paulo Darcie

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de obesidade mórbida em clínica de emagrecimento pode ser custeado por plano de saúde

Direitos da pessoa com câncer

Beneficiário de plano de saúde coletivo tem legitimidade para questionar rescisão unilateral por operadora