IDOSOS SERÃO OS MAIORES BENEFICIADOS PELA MIGRAÇÃO

 

 


Data: 30/3/2009
Fonte: O Dia On Line

As mudanças previstas pela portabilidade vão beneficiar 6,3 milhões de consumidores, menos de 20% dos clientes de planos de saúde no País.

Vítimas dos preços altos cobrados pelas operadoras e do medo de precisar de atendimento, internação ou exame imediatos, os idosos serão os maiores beneficiados pelo serviço.

“O idoso tem dificuldade de sair do plano, por causa da carência, e também porque está acostumado. Às vezes, ele pagou durante anos e, quando precisou do atendimento, descobriu que era ruim. Nada mais justo que possa sair”, diz Fábio Fassini, da ANS.

Arlindo de Almeida, presidente da Abramge (Associação Brasileira de Medicina de Grupo), também acredita que a terceira idade será quem mais vai fazer valer o benefício.

“Muitas vezes, eles estão descontentes com uma operadora, mas não mudam porque não podem cumprir a carência, e se sentem reféns do plano”.

Professora aposentada, Ruth Manhães, 82 anos, já conseguiu negociar com outras operadoras o não-cumprimento da carência. “Na minha idade, não dá para ter carência”, queixa-se.

Ela conta que sua filha, que vai completar 59 anos, está preocupada com o aumento que está por vir na mensalidade, já que chegou à última faixa etária: “Minha filha está pensando em mudar de plano. Mas, diante disso (da portabilidade), vão aparecer empresas oferecendo vantagens”.

Advogada do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Juliana Ferreira lembra que apenas quem tem planos individuais ou familiares após 1999 poderá usar a portabilidade, o que pode deixar muitos idosos de fora: “A maioria deles tem planos antigos”.

Após a troca, consumidor terá que ficar dois anos no novo plano

Antes de tomar a decisão de trocar de plano, o consumidor deve refletir muito. Levar em conta apenas a vantagem financeira pode não ser o ideal. É importante analisar os serviços oferecidos pela outra operadora e a rede de médicos e hospitais credenciados.

Por que eu quero sair? Essa deve ser a primeira pergunta a ser feita, aconselha Maria Inês Dolci, coordenadora da ProTeste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor).

“Vantagem é ter qualidade, preço baixo e bom atendimento. O consumidor terá que observar bem as regras para depois não se sentir frustrado. Após a mudança, terá que ficar dois anos no plano até pedir uma nova portabilidade”, adverte.

A novidade deve acirrar a concorrência entre as operadoras que farão de tudo para manter seus clientes e conquistar novos. A Assim Saúde vai oferecer a todos os contratados pela portabilidade benefícios por um ano.

A Unimed informou que não terá uma política agressiva para captação de clientes via portabilidade. Golden Cross, Amil e Dix não anteciparam seus projetos.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de obesidade mórbida em clínica de emagrecimento pode ser custeado por plano de saúde

Direitos da pessoa com câncer

Beneficiário de plano de saúde coletivo tem legitimidade para questionar rescisão unilateral por operadora