Plano de saúde: solução ou dor de cabeça? Especialista tira dúvidas

João Barroca, da Agência Nacional de Saúde Suplementar responde perguntas de usuários no café da manhã do Mais Você

28/10/2013 às 09h17 
Atualizado em 28/10/2013 às 09h36
Diretor da Agência Nacional de Saúde tira dúvidas na casa de cristal (Foto: Mais Você / TV Globo)Diretor da Agência Nacional de Saúde tira dúvidas na casa de cristal (Foto: Mais Você / TV Globo)








Se existe um assunto que gera dúvidas e interessa a todos esse assunto é plano de saúde! Quase 50 milhões de pessoas contratam esse serviço hoje no nosso país. O problema é que nem sempre a cobertura atende às expectativas do cliente. Uma pesquisa encomendada pela Associação Paulista de Medicina ao Instituto Datafolha mostrou que 79% dos beneficiários de planos de saúde no estado de São Paulo tiveram algum tipo de problema com o plano nos últimos 24 meses. Com isso, 30% dos clientes acabaram recorrendo ao Sistema Único de Saúde - o SUS - ou a serviços particulares. E como esse assunto é polêmico, Ana Maria recebeu no estúdio o diretor-adjunto da diretoria de produtos da ANS, a Agência Nacional de Saúde Suplementar, João Barroca para debater a questão.

“Se trata de um mercado de 60 anos que está sendo regulamentado apenas nos últimos 15 anos. É um momento de transição em um mercado que se expandiu. Hoje não se pode mais ter reajuste nos planos de pessoas acima de 60 anos. Mas nós vivemos cada vez mais. A base ajuda a custear o teto. Mas o financiamento da saúde é problema do mundo todo”, comentou.
Limite de idade
Ana Maria quis tirar a dúvida de uma espectadora: “As seguradoras podem impor limite de idade para aceitar um segurado?”. João foi categórico na resposta. “De jeito nenhum! Se isso acontecer deve ser informado na mesma hora para a ANS. Se você tem dúvidas, leia sempre o contrato, entre no site da agência, ligue para a ANS. Se informe sempre!”
Portabilidade
A portabilidade também foi um assunto lembrado. “Você tem quatro meses para ir para outra operadora, a partir do aniversário do contrato. É importante que o consumidor saiba que tem essa opção sem carência. Se você quiser algum serviço a mais, o máximo de carência é de 180 dias. Com exceção para parto, que são 300 dias. Isso foi mais uma conquista para o consumidor”, informou Barroca.
Caso você queira tirar outras dúvidas, pode entrar em contato com a Agência Nacional de Saúde Suplementar. O telefone é 0800-701-9656.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tratamento de obesidade mórbida em clínica de emagrecimento pode ser custeado por plano de saúde

Direitos da pessoa com câncer

Beneficiário de plano de saúde coletivo tem legitimidade para questionar rescisão unilateral por operadora