Pular para o conteúdo principal

ANS nega aquisição da carteira da Avimed pela Itálica

 

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) negou a aquisição da carteira de beneficiários da operadora Aviccena Assistência Médica Ltda, conhecida também como Avimed, pela operadora Itálica Saúde. A alienação compulsória da carteira havia sido determinada pela ANS através da Resolução Operacional nº 599, publicada no Diário Oficial da União em 19 de fevereiro de 2009. A Avimed teve um prazo de 30 dias para negociar a venda de sua carteira e, durante este período a Itálica Saúde Ltda apresentou proposta de compra. Para que a negociação seja feita é necessário análise e autorização da agência reguladora.

Neste momento a ANS aguarda o prazo legal para a apresentação de recursos e para a adoção de medidas previstas nos normativos correspondentes. Até que a autorização seja concedida, a Avimed ainda é a responsável pela assistência de seus atuais beneficiários, devendo manter integralmente seus contratos, conforme dispõem os parágrafos 3º e 4º do artigo 4º da Resolução Normativa nº 112, de 28 de setembro de 2005.

Os beneficiários que encontrarem dificuldades devem registrar suas reclamações no Disque ANS (0800 701 9656), através do Fale Conosco no site da www.ans.gov.br ou no Núcleo Regional de Atendimento e Fiscalização (Nuraf) de São Paulo. O endereço do núcleo é Av. Bela Cintra, 986, 4º andar, Jardim Paulista.

Confira abaixo a cronologia do processo:

- 19 de fevereiro: A ANS determinou a alienação compulsória da carteira Aviccena Assistência Médica Ltda (Registro ANS nº 39.400-9), cujo nome fantasia é  Avimed Saúde.

- 19 de março: a Itálica Saúde Ltda (Registro ANS nº 32.088-9) protocolou proposta para adquirir a carteira

- 26 de março: a ANS avaliou a situação econômico-financeira e os aspectos atuariais e assistenciais da operação proposta.

- 27 de março: a autorização para a transferência de carteira foi negada.

- 6 de abril: a Itálica apresentou novos documentos sobre sua situação econômico-financeira e solicitou reconsideração à ANS que, após análise dos novos dados apresentados, negou novamente a autorização para a transferência da carteira.

- 6 de abril: as operadoras Avimed e Itálica foram comunicadas da decisão da ANS.

- Neste momento a ANS aguarda o prazo legal para a apresentação de recursos.

 

Fonte: Site ANS.

Comentários

bebezinha disse…
GOSTARIA DE SABER COM OFICAM OS ASSOCIADOS DA AVIMED? E QUAL OPERADORA VAI FICAR COM A CARTEIRA DA MESMA .....OBRIGADA....
Anônimo disse…
Bebezinha, bom dia,
Veja, eu trabalho com este assunto de planos de saúde faz um bom tempo e, em casos parecidos como o da AVIMED, nunca vi a ANS garantindo o atendimento dos usuários por outra operadora. Pelo contrário, o que já assisti algumas vezes é a perda do plano de saúde. Portanto, se você ou algum conhecido estiver nessa situação, a melhor coisa à fazer e procurar um outro plano por si próprio e mudar o mais rápido possível.
Abraço
Sérgio

Postagens mais visitadas deste blog

Liminar suspende cobrança de aviso prévio por operadora de plano de saúde

A juíza Luciana Bassi de Melo, da 5ª Vara Cível de Pinheiros (SP), suspendeu a cobrança de aviso prévio por operadora de plano de saúde. A decisão liminar é desta terça-feira (1º/10).
Reprodução A antecipação de tutela pedia a suspensão da publicidade do nome de uma cliente como inadimplente. Seu nome constava nos cadastros de órgãos de proteção ao crédito por uma suposta dívida de R$ 7,5 mil com o plano de saúde. A advogada que atuou no caso, Juliana Akel Diniz, do escritório Fidalgo Advogados, explica que desde outubro de 2018 as operadoras de planos de saúde privada estão proibidas de cobrar mensalidades adicionais em caso de rescisão de contrato. "O cancelamento, seja lá por qual razão for, tem que ser imediato, sem nenhum tipo de cobrança de aviso prévio e/ou multa. Porém, na prática, as operadoras prestadoras de serviços, mesmo cientes disso, continuam cobrando esses valores dos consumidores, o que é ilegal e abusivo", afirma. Para a advogada, essa é "mais uma for…

Medida da ANS inclui 37 medicamentos orais para o tratamento domiciliar de diferentes tipos de câncer e 50 novos exames, consultas e cirurgias. Confira a lista!

A partir de janeiro de 2014, os beneficiários de planos de saúde individuais e coletivos terão direito a mais 87 procedimentos, incluindo 37 medicamentos orais para o tratamento domiciliar de diferentes tipos de câncer e 50 novos exames, consultas e cirurgias (veja a lista completa no fim do texto). A medida é resultado de consulta pública realizada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e beneficia 42,5 milhões de consumidores com planos de saúde de assistência médica e outros 18,7 milhões consumidores com planos exclusivamente odontológicos. As novas incorporações foram anunciadas nesta segunda-feira, dia 21,em Brasília, pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o diretor-presidente da ANS, André Longo.

STJ aumenta indenização por morte decorrente de demora em atendimento

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) fixou em R$ 150 mil o valor da indenização a ser paga pela U.S.S. S/A ao filho de uma segurada, falecida em decorrência de demora injustificada na autorização de sua cirurgia cardíaca. Os ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram aumentar o valor fixado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro – R$ 20 mil –, considerando que este não combina com os valores aceitos pela Corte Superior. A decisão foi unânime.

A ação foi ajuizada contra a U. e seu diretor técnico buscando condená-los à reparação pelos danos morais experimentados em virtude da morte da segurada, tendo em vista a demora no fornecimento de senha e autorização para que essa fosse submetida à cirurgia cardíaca que poderia ter lhe salvado a vida.

Na primeira instância, o pedido contra a U. foi julgado procedente para condená-la ao pagamento de R$ 10 mil por danos morais. O pedido contra o diretor técnico, entretanto, foi julg…