Pular para o conteúdo principal

Setor de Saúde Suplementar em ebulição


Há um mês, Poder Econômico chamou a atenção para um movimento de fusões e aquisições no setor de planos de saúde. De acordo com dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), 25% das operadoras têm algum tipo de dificuldade financeira.
Carneiro: tamanho do mercado explica interesse estrangeiro (Foto: Ed Viggiani/Divulgação)
Carneiro: tamanho do mercado explica interesse estrangeiro (Foto: Ed Viggiani/Divulgação)
Além da concorrência com grandes players, 301 pequenas e médias empresas do setor enfrentam ainda embargo para novos clientes. O mercado está atento para essa tendência. Antonio Carlos Góes, analista-sênior da TOV Corretora, avalia que o setor vive um período de consolidação.
Para Luiz Augusto Carneiro, superintendente-executivo do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), o setor, no Brasil, desperta grande interesse nas organizações nacionais e internacionais.
- O crescimento robusto do setor e do país, com aumento do emprego formal, impacta positivamente, explica.
Poucos mercados no mundo oferecem, afirma Carneiro, as oportunidades do Brasil neste momento.
Especialista na área, o advogado Sérgio Parra destaca o tamanho do mercado brasileiro como o principal atrativo. Mais de 48,6 milhões de pessoas têm planos de saúde e cada segurado paga, em média, R$ 300 por mês. Na avaliação do advogado, as grandes operadoras devem predominar no mercado tirando o espaço das menores.
A nova realidade também está levando grandes operadoras a se movimentarem no “tabuleiro”. Primeiro foi a Amil, vendida para o grupo americano UnitedHealt por R$ 9,9 bilhões em outubro. Agora o mercado espera a venda da Golden Cross, possivelmente para o grupo KKR, por cerca de R$ 1,1 bilhão.
Com gastos de R$ 59,2 bilhões em 2010 e previsão de desembolsar 35% a mais em 2030 devido ao envelhecimento da população, as operadoras de Saúde Suplementar já iniciaram a pressão para cobrar um pouquinho mais pelo serviço.
Por enquanto, está sendo mais fácil convencer o investidor estrangeiro a vir para cá operar com os preços de hoje do que o governo a permitir reajustes maiores.
Brigas maiores virão.
por Jorge Felix, com Klinger Portella, Poder Econômico, IG

Comentários

Anônimo disse…
Os planos de saúde suplementar deixam a sociedade descapitalizada para as internações médico-hospitalares. O correto seria o governo propor um plano de autogestão e decapitalização familiar. Este seria feito através de um Fundo Privado de Previdência COmplementar para a Saúde, que já foi proposto pela SPC e ANS em 18-12-3.008, mas que ainda não foi iniciado pelo governo.

Postagens mais visitadas deste blog

Liminar suspende cobrança de aviso prévio por operadora de plano de saúde

A juíza Luciana Bassi de Melo, da 5ª Vara Cível de Pinheiros (SP), suspendeu a cobrança de aviso prévio por operadora de plano de saúde. A decisão liminar é desta terça-feira (1º/10).
Reprodução A antecipação de tutela pedia a suspensão da publicidade do nome de uma cliente como inadimplente. Seu nome constava nos cadastros de órgãos de proteção ao crédito por uma suposta dívida de R$ 7,5 mil com o plano de saúde. A advogada que atuou no caso, Juliana Akel Diniz, do escritório Fidalgo Advogados, explica que desde outubro de 2018 as operadoras de planos de saúde privada estão proibidas de cobrar mensalidades adicionais em caso de rescisão de contrato. "O cancelamento, seja lá por qual razão for, tem que ser imediato, sem nenhum tipo de cobrança de aviso prévio e/ou multa. Porém, na prática, as operadoras prestadoras de serviços, mesmo cientes disso, continuam cobrando esses valores dos consumidores, o que é ilegal e abusivo", afirma. Para a advogada, essa é "mais uma for…

STJ aumenta indenização por morte decorrente de demora em atendimento

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) fixou em R$ 150 mil o valor da indenização a ser paga pela U.S.S. S/A ao filho de uma segurada, falecida em decorrência de demora injustificada na autorização de sua cirurgia cardíaca. Os ministros da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiram aumentar o valor fixado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro – R$ 20 mil –, considerando que este não combina com os valores aceitos pela Corte Superior. A decisão foi unânime.

A ação foi ajuizada contra a U. e seu diretor técnico buscando condená-los à reparação pelos danos morais experimentados em virtude da morte da segurada, tendo em vista a demora no fornecimento de senha e autorização para que essa fosse submetida à cirurgia cardíaca que poderia ter lhe salvado a vida.

Na primeira instância, o pedido contra a U. foi julgado procedente para condená-la ao pagamento de R$ 10 mil por danos morais. O pedido contra o diretor técnico, entretanto, foi julg…

Medida da ANS inclui 37 medicamentos orais para o tratamento domiciliar de diferentes tipos de câncer e 50 novos exames, consultas e cirurgias. Confira a lista!

A partir de janeiro de 2014, os beneficiários de planos de saúde individuais e coletivos terão direito a mais 87 procedimentos, incluindo 37 medicamentos orais para o tratamento domiciliar de diferentes tipos de câncer e 50 novos exames, consultas e cirurgias (veja a lista completa no fim do texto). A medida é resultado de consulta pública realizada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e beneficia 42,5 milhões de consumidores com planos de saúde de assistência médica e outros 18,7 milhões consumidores com planos exclusivamente odontológicos. As novas incorporações foram anunciadas nesta segunda-feira, dia 21,em Brasília, pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o diretor-presidente da ANS, André Longo.